segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Transporte em Londres

Supondo que você irá ficar mais de um dia na cidade - a sua melhor opção de transporte será o Travelcard, que inclui o metrô, ônibus e o ônibus noturno.

O sistema de transporte de Londres é seguro, pontual e eficiente, mas as opções de passagens podem ser um pouco complexas para marinheiros de primeira viagem. Primeiro, em inglês britânico, subway, quer dizer a passagem subterrânea, para você passar de um lado da rua ao outro, não quer dizer metrô. O metrô é chamado de underground, mas todo mundo em Londres o chama de tube. Os ônibus são ônibus mesmo, mas lembre-se que lá é a terra dos famosos double-decker (buses) - os ônibus de dois andares.

Basicamente você irá utilizar o metrô e ônibus, sendo assim, o Travelcard será suficiente. Londres é dividida em nove áreas concêntricas para as linhas de metrô. Tem-se zona 1, a mais interna, o centro da cidade - onde se encontram a maioria das atrações turísticas -, até a zona 9, a mais externa. Ao menos que você vá ficar numa bairro distante do centro, a opção ideal é comprar o Travelcard,  para a zona 1 e 2 o qual você pagará £ 32.40 para sete dias consecutivos, isto para viagens ilimitadas para tube, bus, night-bus. Existe, também, o Travelcard para um dia apenas.

Os procedimentos para usá-lo são:

Compre primeiro o Oyster Card, que é um cartão magnético onde você irá carregar o seu Travelcard, zone 1 and 2, for 7 days. O cartão custa £ 5.00 e mais o preço do Travelcard, você pagará um total de £ 37.40.

Onde comprá-lo? Nas estações de metrô (tube stations). No mesmo guichê que você compra o seu cartão, você carrega (top up)Travelcard.

O site do Transport for London tem informações detalhadas sobre o Oyster card e Travelcard, bem como, outros tipos de tarifas, descontos para estudantes e crianças , mapas, journey planner (para planejar a suas viagens) e muitas outras mais.

Como usá-lo: nas tube stations e nos buses haverá um leitor, onde você tocará o seu cartão. Não se preocupe, é muito fácil, e sempre haverá centenas de pessoas fazendo o mesmo - é só observar.

Dicas finais, com o seu Travelcard é possível conseguir descontos em passeios pelo Tâmisa e visitas à algumas atrações, como, a Torre de Londres - informe-se nos guichês ou pelos informativos impressos nas estações.

Lembrete final, guarde o seu Oyster card, para uma próxíma visita a Londres - é só carregá-lo e usá-lo.


underground - metrô


Oyster card  (foto: tfl.gov.uk)


  para utilizá-lo, toque-o
no disco amarelo
(foto: tfl.gov.uk)


Leicester Square Station


não ultrapasse a faixa amarela...


..., pois o trem vem muito rápido



mind the gap - cuidado com vão
entre a plataforma e o vagão


algumas estações tem estas portas de proteção


Please stand on the right -
nas escadas rolantes fique sempre na sua
direita e ultrapasse pela esquerda


uma boa caminhada subterrânea entre algumas estações


buskers - os músicos nas estações são demais


saída


sábado, 29 de janeiro de 2011

Londres: Sir John Soane's Museum

Nas grandes cidades do mundo sempre existem as atrações imperdíveis para uma primeira viagem, mas há, também, outras atrações, menos conhecidas - que valem a pena serem visitadas. Nesta série de postagens sobre Londres teremos sempre este dois tipos de visitas. Após o post London Top 10, um lugar interessante a ser visitado é o Sir John Soane's Museum.

Sir John Soane, arquiteto inglês e professor da Royal Academy, transformou sua casa/estúdio em museu em 1833. As atrações deste museu não são apenas as obras que lá se encontram - arte grega, romana e egípicia; pinturas e desenhos; obras de outros escultores; trabalhos de fossilização; modelos e desenhos arquitetônicos; jóias, armas, medalhas, cerâmicas e o o sarcófago do Faraó Seti I,  para citar algumas. A casa onde é o museu é uma atração em si, com surpresas arquitetônicas - espelhos estratégicamente dispostos, jogo de luzes e espaço que culmina com uma galeria de quadros em painéis sobrepostos que se desdobram para aumentar a capacidade de acomodar as obras.

Este museu fica na 13 Lincoln's Inns Field, metrô Holborn. Ele fica aberto de terça à sábado, das 10 às 5 e a entrada é gratuita. Na primeira terça de cada mês tem uma visita especial, a luz de velas, das 6 às 9 da noite. Confira no site oficial detalhes para a sua visita.

Soane Museum - é a casa mais clara



este senhor organiza a entrada das pessoas

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Londres: as 10 melhores atrações

O site oficial de Londres, Visit London, fez uma lista das 10 atrações imperdíveis na cidade (Top 10 London Attractions) - esta lista foi feita baseada na popularidade de cada lugar, ou seja, no número de visitantes.

Segue abaixo, a lista das atrações; clicando no nome da atração você irá para o site oficial. No site oficial da atração, você verá como chegar lá, preços de ingressos, horários e demais informações. Detalhe, para a maioria destas atrações - entry is free -, isto é, a entrada é livre.

The British Museum (Museu Britânico): O que você vai encontrar lá: obras da pré-história até aos tempos modernos, vindas do mundo inteiro - Pedra da Rosetta, esculturas do Parthenon e múmias do Egito Antigo. entry is free

Rosetta Stone

The National Gallery (Galeria Nacional): Situada na famosa Tafalgar Square, você encontrará pinturas da Europa Ocidental do século 13 ao 19 – Van Gogh, Leonardo da Vinci, Botticelli, Constable, Renoir.
entry is free

The National Gallery

Tate Modern : As margens do rio Tamisa, ela é o museu britânico de arte moderna e contemporânea. Você encontrará, também, muitas exibições temporárias. Não deixe de visitar o restaurante, nem que seja para um café apenas, pois a vista é magnífica. entry is free

Tate Modern

vista do restaurante

 
Natural History Museum (Museu de História Natural): Dinossauros, Baleia Azul em tamanho natural, aranha de 40 milhões de anos e o Centro Darwin – possui a maior coleção de animais raros no mundo.
entry is free


Natural History Museum


The London Eye (O Olho de Londres): Mais que uma roda-gigante - são 32 cápsulas de observação – as mais altas do mundo – que proporcionará em 30 min. vistas inesquecíveis de mais de 55 atrações de Londres, Veja o  vídeo, esta é uma atração paga, os preços (2013) variam de £12.30 para crianças (de 4 a 15 anos) à £19.20 para adultos (maiores de 16 anos)  - há uma variedade grande de tickets, para família, idosos, para evitar fila - fique atento que comprar pela internet sai mais barato.


The London Eye




Science Museum (Museu de Ciências): De espaçonaves e aviões até a resposta da questão “Who am I?” (Quem sou eu?) – muitas atrações interativas referente aos últimos 300 anos de avanço científico. Não se esqueça do cinema IMAX.  entry is free

 
The Tower of London (A Torre de Londres): Uma das construções mais famosas do mundo – em 900 anos de história de um lugar que foi palácio real, prisão e local de execução. Não deixe de ver as jóias da coroa. atração paga - crianças (menor de16) £ 10.45 e adultos £ 20.90.

se o seu inglês for bom, escute este cara - he is funny



 a Tower Bridge vista da Torre de Londres

 
National Maritime Museum (Museu Marítimo Nacional): Um dos grandes museus marítimos do mundo – modelos, pinturas, troféus de cada continente. A história dos grandes transatlânticos, o comércio através do Oceano Atântico – tudo isto em Greenwich (pronuncía-se 'grínitch').   entry is free
 
Victoria and Albert Museum: 3 mil anos de Art& Design com peças e obras de todo o mundo – móveis, pinturas, esculturas, trabalho em metal, a lista continua.... entry is free


Victoria and Albert Museum

  Madame Tussauds (museu de cera): Fique cara-a-cara com as pessoas mais famosas do mundo – de Shakespeare à Rooney (Manchester Utd). Não esqueça de sua audiência com a rainha. A entrada é paga - clique aqui for tickets.

Lembre-se que quando planejar visitar algum lugar é importante acessar o site oficial da atração, pois muitos blogs e sites não oficiais, apesar das boas intenções, podem estar desatualizados. Nos links deste post, sempre dê o comando "F5" para atualizar o site visitado.

Nota final, entry is free, realmente significa entrada livre, mas note que dentro dos museus há, geralmente, exibições especiais que são cobradas á parte.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Do you speak English?

Very well, você estudou inglês muitos anos, portanto está pronto para visitar a terra da rainha - detalhe, você estudou inglês britânico - nada mais perfeito para visitar Londres. Chegando lá, logo na imigração, você não entende nada que o funcionário diz, tudo bem ele deve ser filho de algum imigrante!?! Próxima etapa, você vai comprar o seu ticket de metrô, a coisa piora, você entende menos ainda. Tudo bem, você chegou, esta nas ruas de Londres - lá vem um típico inglês - você capricha no seu melhor sotaque, pergunta algo, e ele responde, daí ... você não entende nada mesmo - será que este cara é inglês?

Welcome to London!

Não, não há nada errado com o seu inglês, provavelmente se você estudou inglês britânico, você aprendeu o RP (Received Pronunciation), que a pronúncia de inglês das pessoas que tiveram mais acesso à educação na Grã-Bretanha. Esta é a forma de mais prestígio - é a pronúncia padrão do inglês britânico. All right, então por que as pessoas não me entendem? Na realidade elas te entendem, você que não as entende. O RP é falado por apenas 3% da população, o resto, quero dizer, a maior parte, fala uma outra variedade.

Em Londres, especificamente, há uma variedade chamada Cockney - referente ao inglês falado pela classe trabalhadora e em uma área determinada - East End of London. Diz a lenda que o verdadeiro Cockney é aquele que nasceu no alcance do som dos sinos da igreja St Mary-le-Bow. O Cockney está, também, associado ao rhyming slangs (algo como, gírias que rimam). Por exemplo, para se dizer wife (esposa), usa-se trouble-and-strife (problema e briga), note que os sons rimam. Normalmente é usado, somente a primeira palavra wife = trouble. Outro exemplo, para stairs (escada), usa-se apples-and-pears (maçãs e peras), ou melhor, somente apples. Tudo isto é a parte histórica do Cockney, hoje em dia, não existe mais estas rhyming slangs, mas muito desta variedade continua ainda nas ruas. É muito comum ouvir , por exemplo, 'half past ten', ser dito 'alf past ten',  isto é sem a pronúncia do "h". Ou o famoso glottal stop, a palavra water, é dita 'wa?a' - tente fazer assim, começe a dizer water, depois do wa faça uma pausa, como se fosse engolir algo, e termine com um 'a' breve - e não com o 'er' da pronúncia americana.  Viu, você já esta começando a falar Cockney.

Respondendo a pergunta do início, você fala inglês, e muito bem - para entendê-los, entretanto, você deve se acostumar com o sotaque deles - nada que uma visita à um pub e uns pints não dê uma força.

Por falar em pubs, segue um link muito interessante sobre eles, na realidade é um guia de etiqueta para os pubs. E por incrível que pareça, há muitos detalhes que não passariam por nossas cabeças. Por exemplo, você não dá gorjeta cada vez que você pede uma bebida, como num bar americano. Não há serviço de garçon, mas se você pedir comida, no balcão, você será servido na mesa. Se você chegar próximo as 11 da noite, talvez o máximo que você consiga é beber um pint (como a bebida é servida, em copos de 568 ml - você pode pedir meio pint), pois já irá tocar o sino - primeira vez para os últimos pedidos, a segunda vez o "bar está fechado", você tem 20 minutos para encerrar. This is England!

St Mary-le-Bow, fica na City



veja o que uns pints pode fazer por você

domingo, 9 de janeiro de 2011

Compras em Londres

Para muitos, um dos prazeres de viajar é fazer compras, e se este for o seu caso, em Londres, neste janeiro, você poderá satisfazê-lo - é o momento das Winter Sales, ou seja, as liquidações de inverno. As opções na capital inglesa são enormes.

Minha primeira recomendação para quem chega a London é, após já estar estabelecido (quero dizer, com hospedagem), pegar um mapa do metrô (tube) e adquirir o passe ideal para a sua estada e comprar a revista Time Out, ou usar o site. Nesta revista, além da parte de entretenimento, você encontrará muitas dicas de compras atualizadas, pois é uma revista semanal - naturalmente, em inglês. Fiz um post sobre ela e os musicais em Londres.

Voltando às compras, como eu disse, a lista de lojas é gigantesca, seguem algumas para você iniciar a sua jornada.

A primeira da lista é a Primark, o endereço que você deve ir é Oxford Street, o metrô mais próximo é o Marble Arch. O que você encontrará lá - muitas roupas e acessórios baratos.

Da  PrimarkMarks Spencer é um pulinho, dá para ir a pé, ela fica na Oxford Street também, o metrô é o Bond Street. Esta é maior loja de roupas do Reino Unido.

Logo ao lado fica a Selfridges, deixe-se impressionar. Para algumas lembrancinhas da terra da rainha, passe na Crest of London - típica loja de souvenires para turistas.

Seguindo a sua caminhada, passe na French Connection (roupas), Accessorize (acessórios), Gap (roupas com estilo casual americano), The Body Shop (produtos de banho e para o corpo) , H&M (moda feminina, cosméticos e acessórios), The Disney Store ( brinquedos e presentes) e na HMV (CDs, DVDs e jogos de computador). Isto em apenas num lado da rua. No outro lado, Dorothy Perkins (roupas e acessórios), Swarovski (cristais) e Adidas. Ainda não chegamos nem na metade de nossa jornada. Isto porque eu não estou mencionando as paradinhas para repor as energias - KFC, Starbucks, Pizza Hut, Eat, Pret a Manger, para citar algumas.

Na realidade o que você deve fazer é o seguinte, desça do metrô em Marble Arch e siga na Oxford Street até a Tottenham Court Road. Você terá centenas de opções de compras. Um segundo roteiro é, seguir na Oxford Street e dobrar à direita na Regent Street  e ir até Piccadilly Circus.

Para você entender melhor do que eu estou falando entre no mapa da Oxford Street e veja todas as lojas - clique nos números para ver as fotos delas e mais informações. No site deste mapa,  Street Sensations! você encontrará outras regiões de Londres.

Veja que estou falando de uma rua só em Londres - sem mencionar a Harrods ( a maior e mais famosa loja britânica), metrô Knightsbridge e na Regent Street a Hamleys - sete andares de brinquedos e diversão, e não é só para os baixinhos - diversão garantida para toda a família. Seguindo mais um pouco na Regent Street, aproveite as liquidações da Lillywhites (loja de esportes) em frente à Estátua de Anteros em Piccadilly Circus.

Não poderia deixar de mencionar as livrarias. São inúmeras, mas a mais famosa, com certeza, é a Foyles. Fundada em 1903, com direito a um lugar no Guinness Book como a que possui o maior comprimento de estantes (50 km) e maior quantidade de títulos. Já foi um lugar extremamente caótico, agora está mais 'civilizada'. Fica na 113 - 119 Charing Cross Road, a estação de metrô mais perta é a Tottenham Court Road. Num dia de chuva, passar a tarde na Foyles - o paraíso na terra. Clique aqui para ver um vídeo dela no Canal Londres.


Para os fanáticos por shopping centres, tem o Westfield , Brent Cross  e o Whiteleys - mas eles não são o forte em Londres, como nos EUA. Ah, tem também, Carnaby Street e Covent Garden. Não esqueça as famosíssimas feiras de rua como Camden Town, Spitafields, Portobello Road e as menos famosas, mas não menos interessantes como a Whitecross Street.


Tudo isto parece muito para você, então a frase de Samuel Johnson irá fazer sentido "Quando uma pessoa esta cansada de Londres, ela esta cansada da vida, pois Londres tem tudo o que a vida pode ofertar".

Meu último conselho - shop till you drop!



Oxford Street


Selfridges


Covent Garden


Hamleys - diversão para toda a família

 Primark


 Lillywhites

Foyles

Foyles, agora está organizado


bugigangas londrinas


Westfield  Shopping Centre
 valia a pena como complemento de uma visita à BBC (mudou
de endereço)


segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Um flâneur pelas ruas de Buenos Aires


Plaza de los Dos Congresos



La Boca



Flor de Acero - florece às  8 da manhã e fecha as
suas pétalas ao por do sol



Avenida Corrientes - el corazon de la ciudad




Jardin Botánico






ainda o tema Guerra das Malvinas



nos muros da cidade



El Pichi - figurinha carimbada na Av. Santa Fé

domingo, 2 de janeiro de 2011

Buenos Aires: Capitán del Espacio e dulces de leche

Alfajor. Este assunto é sério. Este doce é muito mais que duas bolachas recheadas com doce de leite e coberto de chocolate. Mais 9 milhões de alfajores são consumidos todos os dias pelos argentinos. Provavelmente você deve conhecê-los dos quiosques da marca Havanna nos shoppings do Brasil. Lá, entretanto, existem diversas marcas e teve até competição para ver (quero dizer comer) o melhor. Como geralmente acontece neste tipo de competição, não se chega a uma unanimidade. O Havanna, El Cachafaz, Jorgito, Fantoche, Bon o Bon são apenas alguns tipos, a lista é extensa, e tem até concorrência uruguaia, o Alfajor Negro, de Punta Ballena. O alfajor Capitán del Espacio virou uma espécie cult, fabricado a quatro décadas em Quilmes, na grande Buenos Aires, ele manteve sua fórmula inalterada e, talvez, seja esta a razão de seu sucesso. No Estadão saiu uma reportagem interessante sobre ele.

Quando estiver em Buenos Aires, procure-o, pois somente lá você irá encontrá-lo. A novidade agora é versão com três bolachas - demais!
Normalmente nos kioscos você vai encontrá-lo; caso esteja difícil, no kiosco ao lado da Callao Suites (Callao x Sta Fé) você o encontrará, é possível mesmo encomendar algumas caixas, para ser entregue em dois dias.

Capitán del Espacio - por tres

Estando em Bs As, não deixe de provar e, também, trazer para casa alguns potes de dulce de leche, que são bem diferentes dos nossos - menos açucarados e mais apurados. Seguem algumas sugestões, El Semillero, San Bernardo, Don Atilio, El Cachafaz e iLoLay

o iLoLay é vendido no Brasil, mudou de embalagem e dobrou de preço


La Salamandra (a pedidos), Jumbo, Freddo,
 San Ignacio, Poncho Negro


Para mim o melhores são: 1.º Poncho Negro, 2.º El Cachafaz e 3.º Conaprole (uruguaio) 4.º iLoLay (que se não tivesse adição de aroma de baunilha seria perfeito)


 Chimbote

O site argentino Planeta Joy publicou uma lista , segundo eles, com os dez melhores dulces de leche  - no topo do ranking, Chimbote. Após muitas colheradas, ele fica abaixo do top 4  acima.

Como o iLoLay sumiu do mercado brasileiro, consegui achar um substituto a altura, o SanCor - um argentino envasado no Brasil. Custa R$3,50 o pote de 250g, o sabor é igual ao iLoLay. Eles têm até uma linha de atendimento ao consumidor no Brasil - 0800-170404.
Atualizando, mudaram a embalagem do iLoLay e dobraram o preço - típico por aqui.

SanCor - mais um argentino bom e barato

URUGUAIOS

Agora é a vez dos uruguaios. A lista era bem grande: Conaprole, Lapataia, Los Nietitos, Manjar, Camponuevo, Brisas Plata, Calcar, Colonial, Cefa e Limay. Pude provar os três primeiros. Surpresas e decepções. Los Nietitos, médio, semelhante ao iLolay, mas inferior. Lapataia, onde tinha apostado todas a minhas fichas, maior decepção - muito açucarado e não tão apurado, muito gosto de leite. Sorte que eu não sou jogador. Por outro lado o Conaprole, excelente descoberta, rivaliza-se ao El Cachafaz e Poncho Negro argentinos. E notícia melhor, pelo que eu lí em alguns blogs, ele pode ser encontrado no Brasil. Na embalagem tem até SAC no Brasil (11) 2972-9777. Em Curitiba, você o encontra no Angeloni. Pote de 440g R$ 12,98. O Lapataia também está disponível no Angeloni


Los Nietitos - OK, Conaprole - zero de baunilha, tudo de
 sabor -, o melhor uruguaio, até agora - a lista é longa



Lapataia - o famoso dulce de leche uruguaio
- decepção 


No Brasil a versão é de potes de 440g


Mais dois convidados argentinos, o onipresente nos shoppings da cidade, Havanna e o desconhecido Munchi's. O primeiro tem a textura seja muito fina e muita adição de baunilha, o segundo, bueno, é muito fraco. Valem a pena pelo registro. 



Havanna e Munchi's - apenas para os registros


mais um argentino no Brasil, Vacalin -
textura muito fina e muita baunilha - comum

um brasileiro que merce estar entre os
melhores